Destaque Tudo de Bio

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Mudança climática pode tornar parasitas mais fortes

Um estudo que será publicado na próxima segunda na Nature Climate Change mostra que os parasitas tem a possibilidade de serem mais virulentos devido à mudança climática.

Na pesquisa, os cientistas perceberam que rãs sofrem mais infecções fúngicas quando a temperatura oscila inesperadamente. A explicação encontrada pelo grupo é que os parasitas, como fungos, protozoários e platelmintos, por exemplo, uma vez que são menores que seus hospedeiros e crescem mais rapidamente, podem se adaptar mais rapidamente a mudanças na temperatura.

Os pesquisadores utilizaram rãs cubanas em 80 incubadoras submetidas a diferentes temperaturas e a infecções pelo fungo Batrachochytrium dendrobatidis, parasita geralmente mortal para os anfíbios.

Os resultados mostraram que as rãs mantidas na temperatura de 25ºC por quatro semanas sofreram mais infecções ao serem transferidas para incubadoras a 15ºC com o fungo em relação as outras rãs que estavam estavam vivendo apenas na temperatura de 15 ºC.

Em outro teste feito, as rãs cubanas expostas a variações comuns da temperatura, entre 15ºC e 25ºC, como as mudanças naturais entre o período noturno e o diurno, resistiram melhor ao fungo.

Como conclusão, os pesquisadores perceberam que a aclimatação - processo que o ser vivo leva para acostumar-se a mudanças inesperadas na temperatura - das rãs leva 10 vezes mais tempo do que a do fungo.

No entanto, é necessário que sejam realizadas mais pesquisas envolvendo outros parasitas e hospedeiros para uma melhor confirmação, uma vez que o estudo foi feito em apenas uma espécie de rã.

Personalidade: conheça o padre Jesus Santiago Moure, o maior especialista em abelhas neotropicais

De Darwin e Mendel todos já ouviram falar. O Tudo de Bio, brasileiro todo, vai retratar agora a história de um dos articuladores da Sociedade Brasileira de Entomologia (SBE), o padre Jesus Santiago Moure, que estaria completanto cem anos em 2012, caso estivesse vivo.

Este ano, a SBE comemorou 75 anos de fundada, e na ocasião foi lembrado o centenário de nascimento do padre que conciliou muito bem a ciência e a religião. duas áreas aparentemente distantes.

O padre Jesus Santiago Moure é considerado o maior especialista do mundo em abelhas da região neotropical, além de ter participado da criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal do Paraná (UFPR), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), do CNPq e da Capes. Currículo bonito, não é mesmo?!

“A evolução, Deus criou. As leis divinas e as da ciência podem caminhar juntas.” Disse o padre pesquisador certa vez, frase que acabou causando problemas com a Igreja.

Apesar de todas suas pesquisas, o padre era formado em filosofia e teologia, nunca tendo feito um curso na área de biologia. Todo o conhecimento em botânica, entomologia, inglês e espanhol foi fruto de exaustivas horas de estudo.
O estudioso publicou mais de 200 artigos. O primeiro data de 1940, relatando a descoberta da espécie Augochloropsis liopelte. Após aquele ano, o padre descreveu mais de 500 novas espécies de abelhas, além de catalogar outras 12 mil.Link
Quer saber mais? Leia a excelente matéria do Ciência Hoje.


sábado, 11 de agosto de 2012

Enquete TDBio: políticos brasileiros não se preocupam com o Meio Ambiente


Nas últimas semanas, o Tudo de Bio contou com uma enquete no blog e na página do Facebook que perguntou se os políticos brasileiros se preocupam com o Meio Ambiente. Resultados esperados à parte, o que me surpreendeu foi a porcentagem de 100% dos votantes afirmando que os políticos do nosso país NÃO se preocupam com o meio ambiente. Os dados provavelmente refletem o que se vê atualmente na mídia, quanto a aprovação do novo Código Florestal na Câmara dos Deputados, cujas mudanças podem aumentar o desmatamento no Brasil.
Destaca-se o comentário de dois participantes:

"Os políticos brasileiros não tem e nem querem ter responsabilidades com nada. Só com os próprios bolsos." E.F.

"Do ponto de vista geral... Não tem! Alguns tem idéias boas, mas que pra a atual situação que estamos, essas idéias isoladas, não mudarão muito. Nós tambem temos que pressioná-los. Não apenas cobrar, sem ter nenhuma ação!" I.B.

O Tudo de Bio agradece a todos os que votaram.

Quer saber mais?

Entenda como o Novo Código Florestal pode aumentar o desmatamento no Brasil.

Aguardem a próxima enquete.

Chega de dúvidas: a Zebra é branca com listras pretas


Essa é uma dúvida comum aos curiosos e amantes do mundo animal. Nas aulas de ciências durante a infância essa é uma das perguntas que sempre aparecem na classe.
Na verdade, a zebra é verdadeiramente branca com listras pretas, não o contrário. Segundo o biólogo Guilherme Domenichelli, autor do livro "Girafa tem torcicolo?", a Eqqus grevyi, conhecida como zebra de grevy possui a barriga completamente branca e o resto do corpo é coberto por estreitas listras pretas.
Assim como as impressões digitais dos seres humanos, que variam de indivíduo para indivíduo, os padrões de distribuição das listras são diferentes em cada zebra, como os padrões de pintas diferem nas girafas e as listras nos tigres.
Além disso, as listras da zebra são um incrível exemplo de adaptação, uma vez que quando andam em grupo podem dificultar a visão do leão, seu principal predador. Para isso, elas correm de um lado para o outro, e os leões, que enxergam em preto e branco, não conseguem determinar a posição da presa, sem saber onde começa e termina uma zebra.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Tudo de Bio lança aplicativo para Android


O Tudo de Bio acaba de disponibilizar para seus visitantes um aplicativo para smartphones Android. O aplicativo Tudo de Bio, mesmo nome do blog, ainda não está disponível no Google Play, no entanto pode ser baixado acessando-se o blog pelo aparelho celular ou no link abaixo (Instalação manual).
O diferencial do aplicativo é que ele carrega mais rapidamente as principais notícias do blog, deixando o usuário sempre atualizado com as matérias, curiosidades e downloads disponíveis aqui.
Então, se seu smartphone tem Android, baixe já e fique sempre por dentro das melhores notícias sobre ciência.
Ah! Aos que possuem iPhone, o app já está sendo desenvolvido também para essa plataforma.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O APLICATIVO!

Para instalar o app manualmente basta realizar o download no link acima e copiar o arquivo para o seu smartphone. No celular, procure o arquivo e instale normalmente.Link

Recife sediará o WIDEN - Workshop em Imunopatologia do Dengue

O Tudo de Bio vem divulgar um evento que vai reunir diversos pesquisadores em imunopatologia do vírus da dengue.

O WIDEN - Workshop em Imunopatologia do Dengue é um evento organizado pelo Instituto de Ciências Biológicas e Faculdade de Ciências Médicas, ambos da Universidade de Pernambuco, em parceria com o Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ do Rio de Janeiro, e acontecerá entre os dias 27 e 29 de agosto, em Recife-PE. Ainda durante o workshop, oito participantes serão selecionados para participar do Curso de Citometria de Fluxo previsto para acontecer nos dias 30 e 31 de agosto.

A inscrição custa apenas R$15,00 a serem pagos na coordenação de pós-graduação do ICB.

Para ver a programação completa, mais informações e realizar a pré-inscrição acesse o blog do evento.

Informações: workshopdengue@gmail.com

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Por que as formigas seguem o mesmo caminho feito pelas outras?

As formigas sempre seguem o mesmo caminho das outras pelo motivo de que as que passam primeiro em um lugar depositam uma susbtância química chamada feromônio.
Essa substância "marca" o caminho que as outras formigas tem que seguir para encontrarem comida e posteriormente retornarem ao formigueiro.
Segundo Lúcia Chaves, professora de Biologia, o feromônio é como uma placa de trânsito orientando as formigas sobre onde ou não ir. Isso porque não se produz apenas um tipo de feromônio: enquanto um indica a trilha correta a ser seguida, outros podem alertar sobre rotas erradas e que não levam a locais com comida.
Por conta dessas mesmas substâncias que quando passamos o dedo na trilha das formigas, as que vem atrás ficam desorientadas, pois acabamos de retirar os feromônios ali depositados.

Tem uma dúvida? Mande para o tudodebio@gmail.com ou comente aqui que buscaremos uma resposta.

Gene da Obesidade em mexicanos é encontrado

Uma pesquisa realizada na Faculdade de Química da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) demonstrou que mexicanos possuem o gene da obesidade e, por este motivo, tem uma alta predisposição a estar em sobrepeso.

Segundo os pesquisadores, esse gene está relacionado ainda com as possibilidades de mexicanos sofrerem de doenças crônicas e complicações metabólicas em uma razão maior do que a média dos seres humanos.

O estudo, em colaboração com o Instituto Nacional de Ciências Médicas e Nutrição Salvador Zubirán e o Instituto Nacional de Medicina Genômica, foi identificada "uma variante genética de risco metabólico, exclusiva dos mexicanos". Um dos pesquisadores, Samnuel Canizalez, afirmou que o gene é capaz de alterar a função do transportador de colesterol ABCA1, provocando a diminuição dos níveis de HDL, o "bom colesterol", que tem a função de limpar as artérias.

Acontece que se o ABCA1 funcionar bem, os níveis de HDL, que também é antiinflamatório e antioxidante, serão normais ou mais altos.

Apesar de o estudo ter sido aplicado também em grupos da África, Ásia e Europa, o gene foi encontrado apenas nas populações mexicanas com componente indígena ou mestiça americana.

Adaptado de: Terra Ciência

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Vírus da gripe aviária está matando filhotes de focas nos EUA

Diversos filhotes de focas da costa nordeste americana estão morrendo por uma epidemia causada por um novo tipo de vírus da gripe aviária, o H3N8, assim denominado pela Sociedade Americana de Microbiologia em seu periódico "mBio".
Segundo o jornal científico, apenas no ano passado, o H3N8 foi responsável pela morte de 162 focas ao longo da costa dos EUA, a maioria com menos de seis meses.
O que preocupa os pesquisadores da Universidade de Columbia, em Nova York, é que esse vírus pode representar um risco para humanos, pois apesar de não ter sido registrado nenhum caso em humanos, a gripe aviária já evoluiu a ponto de gerar formas capazes de infectar pessoas, como o H5N1.

Além disso, sabe-se que vírus como o HIV, Sars (Síndrome respiratória aguda grave, na sigla em inglês) e o Influenza são exemplos dos causadores de doenças infecciosas que tiveram origem em animais, contaminando, posteriormente, os humanos;

"Nossas descobertas reforçam a importância de vigiar a vida selvagem na previsão e prevenção de pandemias", disse W. Ian Lipkin, professor de epidemiologia da Escola de Saúde Pública Mailman, da Universidade de Columbia.

Cupins-bomba são descobertos na Guiana Francesa

Uma nova espécie de cupim com uma característica nunca documentada foi encontrada por cientistas belgas.

A característica em questão é que os cupins mais velhos dessa espécie são capazes de cometer suicídio coletivo, a fim de proteger sua colônia.

O suicído nos cupins já era conhecido antes, onde algumas espécies explodiam liberando diversos produtos químicos sobre o predador.

A diferença é que quando os indivíduos dessa espécie estão envelhecendo e ficando incapacitados, eles passam a armazenar cristais sólidos que, se misturados com outras secreções do inseto, produzem uma reação química. Pois bem, desta forma o poder de defesa desses cupins aumenta e acaba sendo bem útil para o grupo, onde os indivíduos mais velhos cometem suicido coletivo como verdadeiros kamikazes para proteger a colônia..
Em matéria para a BBC, o professor Yves Roisin, da Universidade Livre de Bruxelas, disse que um graduano de seu laboratório, Thomas Bourguignon estava pesquisando a ecologia de comunidades desses cupins e se deparou com o fenômeno enquanto coletava amostras.
Na defesa da colônia, os cupins da espécie Neocapritermes taracua liberam substâncias tóxicas sobre os invasores, corroendo seus corpos.

"As secreções tóxicas para a defesa são normalmente armazenados nas glândulas salivares, mas esta espécie transporta uma 'mochila' com dois tipos de cristais sólidos do lado de fora do corpo. Quando o cupim 'explode', os dois são misturados para produzir uma substância tóxica mais potente", afirmou o professor.

O pesquisador afirmou que ainda não se descobriu como esses cupins produzem os cristais.

O estudo do professor foi publicado na revista científica "Science".

Dieta do Futuro

Quando você vai fazer a feira já está percebendo o aumento dos preços dos alimentos. Associe isto ao aumento populacional e aosLink recursos limitados. Pronto, já dá para perceber que no futuro a alimentação humana vai sofrer mudanças.

Segundo matéria publicada no site G1, analistas tem calculado que o preço dos alimentos pode dobrar dentro de cinco ou sete anos, fazendo com que itens que hoje são comuns (à maioria das mesas, claro!), como a carne, se tornem luxo.

A matéria citada listou alguns possíveis candidatos que provavelmente possam aumentar a disponibilidade do alimento. Veja abaixo a lista do site:

Insetos

O governo holandês já investiu um milhão de euros em pesquisa sobre como inserir carne de insetos nas dietas de seus cidadãos e preparar leis para regulamentar sua criação.

Insetos fornecem tanto valor nutricional quanto carne de mamíferos, mas custam e poluem muito menos. Cerca de 1,4 mil espécies poderiam ser consumidas pelo homem, compondo salsichas ou hambúrgueres.

Boa parte da humanidade já come insetos, especialmente na Ásia e África. Mas os mercados ocidentais devem resistir à ideia e vão ser necessárias grandes campanha de marketing para tornar aceitável ideia de incluir insetos como gafanhotos, formigas e lagartas no cardápio.

Uso de som

Já é bem conhecida a influência que aparência e cheiro podem ter sobre o que comemos, mas uma área em expansão que pode render descobertas interessantes é a dos estudos sobre o efeito do som sobre o paladar.

Um estudo da Universidade de Oxford descobriu que é possível ajustar o gosto der determinados alimentos através da música que se ouve ao fundo. A música pode, por exemplo, fazer uma comida parecer mais doce do que ela é. Esse recurso pode ajudar a reduzir o consumo de açúcar.

Outro exemplo: Sons graves de instrumentos de sopro de metal (como saxofones ou tubas) acentuariam o gosto amargo de alimentos. Empresas podem passar a recomendar listas de músicas para melhorar a 'experiência' do consumo de seus produtos.

Carne de laboratório
Cientistas holandeses criaram carne em laboratório usando células-tronco de vaca e esperam desenvolver o primeiro "hambúrguer de proveta" até o fim de 2012.

A produção de carne artificial poderia trazer grandes benefícios ao meio ambiente, pela redução no número de cabeças de gado - grandes emissores de CO2 - e nas áreas de floresta desmatada para a criação de pastos. A carne de laboratório poderia ser manipulada para ter níveis bem mais saudáveis de gordura e nutrientes.

Os pesquisadores holandeses dizem que a meta é fazer a carne in vitro ter o mesmo gosto que a tradicional - coisa que ainda está longe de ter.

Algas
Elas podem alimentar homens e animais, oferecer uma alternativa em graves crises alimentícias e ainda abrem mão do gasto de terra ou água potável para seu cultivo. Cientistas ainda apontam para o potencial de algas como fontes de biocombustíveis - o que reduziria a dependência dos combustíveis fósseis.

Alguns especialistas preveem que fazendas de algas poderiam se tornar a mais promissora forma de agricultura intensiva. Elas já existem em países asiáticos como o Japão.

Como os insetos, elas poderiam ser introduzidas em nossas dietas sem que soubéssemos. Cientistas na Grã-Bretanha estudam a substituição de sal marinho por algas em pães e outros alimentos industrializados. Grãos têm um forte sabor, mas com baixo índice de sal, sendo portanto, mais saudáveis.

Lista retirada de matéria do site G1

Populares